sábado, 14 de abril de 2012

CARBONO OU ALUMÍNIO?

Esta é uma dúvida que à partida até parece fácil de solucionar. A maior parte de nós, em menos de 2 segundos escolheria o CARBONO como material de eleição na fabricação do quadro e componentes da Bike.
Mas será mesmo assim tão simples?
Os olhos também comem e sem dúvida, que quando olhamos para um quadro em fibra de carbono, e reparamos na beleza das suas linhas, na ausência de soldaduras, na aparente perfeição de construção de cada tubo, ficamos convencidos. Um dos pontos mais fortes do carbono é sem dúvida o peso, que aliado a uma rigidez extremamente elevada o tornam tão apetecível, principalmente no mundo da competição, pois uma sólida rigidez é fundamental para que se possa transmitir à roda toda a força exercida pelo atleta.
No entanto, também existem quadros em alumínio com soldaduras polidas, com extrema qualidade de construção e com linhas igualmente belas, mas, por norma são um pouco mais pesados e não tão rígidos como os de carbono, fazendo com que não sejam tão apetecíveis, à partida.
Existe no entanto, um factor preponderante na escolha do alumínio, o PREÇO. Sem dúvida que um quadro em alumínio fica menos dispendioso que fabricado no outro nobre material. Isto deve-se aos custos de produção que o carbono representa, nomeadamente na quantidade de matéria-prima utilizada.
É pois este factor que faz com que, na hora da escolha da nova bike surjam dúvidas, ainda que aliadas a outros factores, nomeadamente a menor resistência a maus-tratos por parte do carbono e impossibilidade de alterar a pintura de origem.
Quanto a mim, continuo a ser fiel ao alumínio no que toca ao BTT. Quanto à estrada já me inclino mais para o carbono, apenas não consigo é lá chegar, quem sabe num futuro próximo haja mais uns €uritos na carteira!!!

Nenhum comentário: